URBAM
Prefeitura de São José dos Campos

04/12/2015

Relíquias do Museu do Lixo estão expostas na Casa de Cultura Eugênio de Melo

Várias peças do Museu do Lixo, da Urbam, estão expostas na Casa de Cultura Rancho do Tropeiro Ernesto Vilela, no distrito de Eugênio de Melo, durante o meses de dezembro e janeiro. A Casa de Cultura, mantida pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo, fica na Rua Ambrósio Molina, 184. A entrada é gratuita ao público (mais informações pelo telefone 3905-1855).

Criado em 1991, o Museu do Lixo de São José dos Campos, reúne peças de valor histórico que foram descartadas no lixo pela população. Este resgate não seria possível sem o trabalho constante do Sr. Rubens Dalprat, 82 anos, e 33 anos de serviços dedicados à Urbam.

"Não são simples objetos. Nem chamo de museu. São verdadeiras relíquias", lembra. Em 1985, o Sr. Rubens começou a reunir as peças que chegavam ao aterro sanitário. "Quando os coletores encontravam alguma peça antiga no lixo, eles me traziam e, assim, fui limpando peça por peça, consertando, guardando até que o museu foi criado", lembra.

Desde então, esse trabalho passou a fazer parte da sua história de vida, que não se restringe à organização e limpeza dos objetos. "Gosto de pesquisar a história das peças e procuro recuperá- las e mantê-las preservadas."

O museu encanta a todos, principalmente às crianças. Elas ficam curiosas ao se deparar com preciosidades que nunca viram como máquinas de datilografia, fotográficas, projetor de cinema, celulares antigos, máquinas de costura, ferro de passar roupa a brasa e, também, com as histórias contadas pelo Sr. Rubens.

"É uma satisfação imensa ver os olhos das crianças brilhando quando veem algo que nem imaginavam existir e, muito menos que estas relíquias foram descartadas no lixo".

O Museu do Lixo é uma das principais atrações do Programa Lixo Tour, que recebe alunos de escolas do município e também de outras cidades, além de profissionais ligados à área de resíduos, estudiosos e gestores públicos.

"Tudo que está aqui é material didático onde podemos fazer o resgate da nossa história", explica Sr. Rubens. Ele acrescenta que é importante acompanharmos a evolução tecnológica. "Por meio destas peças, podemos fazer um estudo sobre o que está acontecendo no momento e também sobre o que poderá acontecer no futuro".

O Museu do Lixo abriga mais de 160 peças antigas. Entre elas, um rádio de 1939 e uma máscara de ferro, que supostamente retrata o compositor Beethoven.

 

Veja outras notícias:

Fale conosco

Urbam - Tel:(012)3908 - 6000