13432

URBAM
Prefeitura de São José dos Campos

04/05/2017

Familiares de doadores de córneas incentivam ato solidário


“Estou triste pela morte do meu irmão, mas feliz porque ele estará iluminando outras vidas que estavam na escuridão e que agora vão poder voltar a enxergar.” Foi pensando desta forma que Aparecida Martins de Souza autorizou a doação das córneas do irmão que faleceu há menos de um mês.

Ela lembra que há muitos anos ela e o irmão conversaram sobre a vontade de doar os órgãos quando falecessem. “Quando me perguntaram, eu não pensei duas vezes.” Ela conta que quando disse à família e aos amigos, eles também concordaram com a doação. “Meu irmão ajudava muitas pessoas. Sei que onde ele estiver está feliz com a minha atitude. Penso que não podemos ser egoístas, precisamos ajudar o próximo”, destacou Aparecida. “É duro perder um irmão que a gente ama. Mas teremos um pedacinho dele iluminando o mundo.” Ela conta que tomou a decisão sozinha, mas não teve dúvidas na hora de assinar a autorização. “Tomei a decisão certa. Meus sobrinhos até disseram que gostariam de conhecer quem voltou a enxergar por meio das córneas dele.”

Marcela Coutinho também autorizou a doação das córneas da mãe. Imaculada das Graças Coutinho foi servidora municipal, trabalhou 20 anos na área da saúde da Prefeitura de São José dos Campos e havia se aposentado há seis anos. “Acredito que se ela pudesse fazer a escolha, ela ia querer ajudar outras pessoas. Ela foi enfermeira no Pronto-Socorro, na UPA do Parque Industrial e na UBS do Jardim Satélite. Sempre se dedicou aos outros. Foi pensando nisso que aceitei fazer a doação.”

José Benedito da Silva também pensa da mesma maneira. “Minha mãe sempre ajudou as pessoas. Tenho certeza de que ela ia querer que suas córneas fossem doadas. Por isso eu concordei.” Ele autorizou a captação das córneas da mãe no dia 10 de abril – primeiro dia em que o serviço passou a ser oferecido na cidade por meio de uma parceria entre o Banco de Olhos de Sorocaba (BOS), o Próvisão e a Urbam.

“Fico contente, pois até depois que faleceu, minha mãe continua a ajudar as pessoas”, reforçou. José Benedito se surpreendeu com a informação de que, com seu ato de solidariedade, pode ajudar duas pessoas a voltar a enxergar. “Meu pai vai ficar muito feliz com a notícia. Pensei que estava ajudando uma pessoa e são duas. Espero poder ajudar quem está na fila. Espero também que outras pessoas se sensibilizem e também façam doações.” Ele disse que torce para que dê tudo certo e que as córneas possam ser utilizadas. “Estou feliz. Eu também gosto de ajudar as pessoas”, explicou José Benedito.

Desde o dia 10 de abril, quando teve início o trabalho, foram feitas 41 doações de córneas. Por ser um tecido e não um órgão, a captação não precisa ser feita em hospitais. Por isso, é feita na funerária da Urbam por profissionais capacitados do BOS. Depois, os tecidos são processados em laboratório e seguem para os hospitais para os transplantes.

Atualmente, o Provisão realiza em torno de 12 cirurgias por mês. O controle da fila de pacientes que aguardam pelo transplante é feito pela Central de Transplantes do Estado de São Paulo.

Veja outras notícias:

Fale conosco

Urbam - Tel:(012)3908 - 6000