Majestic e Sta. Lúcia recebem Operação Casa Limpa

Data da publicação: 18/04/2022 - Tempo de leitura: 3 minutos

Em virtude do aumento de casos de dengue em algumas regiões do município, a Prefeitura de São José dos Campos realiza na próxima terça-feira (19), uma Operação Casa Limpa nos bairros Majestic e Jardim Santa Lúcia, ambos na região leste.

O objetivo da ação é recolher o maior número possível de materiais inservíveis e diminuir a disponibilidade de criadouros para o mosquito Aedes aegypti, que transmite dengue, zika e chikungunya.

Os moradores devem deixar os inservíveis que possam servir de criadouros (latas, potes, garrafas, lona, louças sanitárias, baldes, tambores, piscinas desmontáveis ou qualquer outro recipiente que acumule água) em frente aos imóveis, das 7h às 12h, para que seja feito recolhimento.

Terra, entulho de construção, tábua, madeira, móveis velhos, roupas, lixo orgânico, folhas e restos de podas não serão recolhidos.

Ações da Prefeitura
A Operação Casa Limpa integra uma série de ações que o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) vem realizando nos últimos dias com as atividades de controle de criadouros, busca ativa de casos suspeitos e controle químico (nebulização, focal e perifocal) nos bairros da região. A operação conta com apoio das equipes da Urbam.

2ª ADL
A Prefeitura de São José dos Campos iniciou no último dia 1º de abril a 2ª ADL (Avaliação de Densidade Larvária) de 2022, que irá acontecer em todas as regiões da cidade durante todo o mês. A atividade é importante para nortear as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti.

As ADL’s são realizadas a cada trimestre (janeiro, abril, julho e outubro) e têm o objetivo de identificar os níveis de infestação das larvas do mosquito. Nesta segunda avaliação do ano, a previsão é que os ACE’s (Agentes de Combate às Endemias) visitem 17.749 imóveis em todas as regiões do município.

A primeira ADL de 2022 teve o registro de 1,10 no IB (Índice Breteau), um aumento de 0,60 em comparação com o mesmo período de 2021. Ou seja, de acordo com o índice larvário, a cada 100 imóveis, foram encontrados 11 recipientes com larvas do mosquito Aedes aegypti, o que coloca o município em estado de alerta.